Setembro amarelo ficou conhecido como o movimento de conscientização e prevenção ao suicídio. No Brasil, começou a ser organizado no ano de 2014 por ações que envolveram a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP e o Conselho Federal de Medicina – CFM.

Ano após ano o movimento ganha força e há cada vez mais pessoas e organizações engajadas na causa, contribuindo diariamente para um mundo mais acolhedor e consciente do problema que atinge cidadãos de todas as idades.

A campanha setembro amarelo salva vidas! Por isso, hoje nós vamos conhecer um pouquinho mais do movimento. Vamos lá? 

Os números do suicídio no mundo

De acordo com dados da própria organização do movimento, são observados no Brasil mais de 12 mil suicídios todos os anos. No mundo os números são ainda mais preocupantes, alcançando mais de 1 milhão de casos de suicídio. 

Principais causas do suicídio

As causas do suicídio devem ser atentamente observadas para que todos possam compreender melhor essa triste realidade, que atinge cada vez mais os jovens. Estima-se que cerca de 96,8% dos casos de suicídios estejam relacionados a transtornos mentais. Dentre esses, é possível destacar: 

  • Depressão
  • Transtorno bipolar
  • Abuso de substâncias 

Setembro amarelo na comunidade

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio aconteceu em 10 de setembro. Entretanto, as ações de prevenção e conscientização acontecem durante o mês todo e o auxílio da comunidade tem sido muito importante. 

As entidades do setor público e privado e a população como um todo se envolvem nas ações dos projetos, que visa iluminar, pintar, estampar e divulgar as cores amarelas onde seja possível. 

Ao longo dos últimos anos, setembro amarelo ganhou reforços muito especiais, como a iluminação de monumentos históricos e pontos turísticos, como o Cristo Redentor (RJ), o Congresso Nacional e o Palácio do Itamaraty (DF), o Estádio Beira Rio (RS) e o Elevador Lacerda (BA) que se iluminam na cor do movimento como uma forma de apoio. 

Além disso, diversas outras ações são vistas pelas cidades no país, como:

  • Caminhadas
  • Passeios ciclísticos 
  • O uso de roupas amarelas 
  • A adoção do laço amarelo 

Entre outros. 

Encontrando ajuda para prevenir o suicídio

Além de todas as ações promovidas no mês de setembro, existem organizações e canais de apoio funcionando 24 horas por dia durante o ano todo, como uma forma de oferecer auxílio em momentos difíceis. 

No site Setembro Amarelo, por exemplo, você pode encontrar a lista de psiquiatras associados em todas as regiões do Brasil. 

Existe também o CVV (Centro de Valorização da Vida), uma das ONGs mais antigas do país. Fundado em São Paulo em 1962, atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio pelo telefone 188, e também por chat, e-mail e pessoalmente.

E de acordo com o site do Ministério da Saúde, também é possível recorrer ao CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde), UPA 24H, SAMU 192, Pronto Socorro e Hospitais.

Além disso, ainda no site da campanha, você encontra diretrizes e materiais informativos que auxiliam na identificação de fatores de risco e sinais de alerta, por exemplo.

O suicídio é um assunto que deve ser levado a sério. Esperamos que o conteúdo de hoje tenha auxiliado. Mas lembre-se, nada substitui o auxílio de profissionais da saúde para casos assim. 

Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos sobre o universo hospitalar e o mundo da saúde.