Mesmo em tempo tão difíceis, a ciência brasileira ainda consegue gerar bons frutos quando a serviço de inovações da saúde. Exemplo disso é o resultado dos esforços de dois grupos de cientistas brasileiros: a criação de um super curativo desenvolvido a partir de plantas e bactérias.

É isso mesmo. Pesquisadores das universidades de Sorocaba, a Uniso, e de Campinas, a Unicamp, desenvolveram um curativo criado a partir de uma proteína do abacaxi e de celulosa obtida a partir de bactérias.

A união entre os dois elementos resultou num curativo potente, eficiente como um anti-inflamatório cicatrizante de ferimentos, ulcerações e queimaduras.

Curativo - Medworld

O curativo é como um gel. Além de forte poder de cicatrização, também é anti-inflamatório e antibacteriano. Imagem: reprodução / BBC.

 

Como funciona o curativo

O curativo, produto em si, existe na forma de um gel ou emplastro. A proteína do abacaxi e a celulose são ambos os principais ingredientes do curativo.

As duas matérias-primas eram objetos de estudo dos dois diferentes grupos de cientistas. Eles resolveram unir forças para criar um curativo especial com propriedades anti-inflamatórias. Cientistas já sabiam anteriormente do efeito cicatrizante especial da celulose bacteriana, por isso resolveram utilizar esse composto especial.

A proteína de abacaxi também se mostrou como um elemento bastante interessante. Também chamada de bromelina, a proteína tem capacidade de quebrar moléculas de outras proteínas, algo que a fez ser usada até como amaciante de carne.

Por causa disso, a bromelina também ajuda a limpar as células mortas em uma ferida, deixando o processo de cicatrização mais rápido. Como a proteína pode ser encontrada na casca do abacaxi, uma parte da fruta geralmente descartada pelas indústrias, a matéria-prima acaba sendo extremamente barata e fácil de encontrar.

Os cientistas verificaram em laboratório se de fato a bromelina conseguia mostrar seus efeitos antimicrobianos e impedia a penetração destes agentes danosos. Verificando que sim, foi a hora de juntar à celulosa bacteriana, com seus fortes efeitos de cicatrização.

O resultado foi um curativo poderoso, capaz de remover células mortas de ferimentos, micróbios, bactérias e outros organismos e evitar sua entrada.

A pesquisadora Angela Faustino Jozala, da Uniso, comenta sobre a importância de combinar essas propriedades: “Ferimentos não cuidados são uma porta aberta para micro-organismos, o que pode levar a infecções graves (…) Por isso, necessitam de um bom curativo, que ajude na cicatrização e evite contaminação”.

Curativo - Medworld

Matéria-prima para o curativo é a casca do abacaxi. Imagem: Dr. Saúde.

 

Passos seguintes

Os resultados em laboratório com a manipulação dos elementos principais se mostrou bastante eficaz, já que o produto trouxe os efeitos desejados e não se mostrou tóxico.

Agora, a segunda fase de testes inclui animais, para verificar se o curativo traz os efeitos desejados quando aplicado em um organismo animal.

Mesmo que o curativo não se torne adequado para produção em larga escala e comercialização, os cientistas esperam que as descobertas sejam importantes para o futuro da indústria farmacêutica como um todo.

É sempre bom verificar que estamos fazendo avanços na área médica, não é? Assim, podemos ficar um pouco mais tranquilos, sabendo que nossa saúde vai ficando cada vez mais bem cuidada.

Em seus produtos, a Medworld também aplica todo o conhecimento e tecnologia aplicáveis em móveis hospitalares. Fazemos questão de oferecer todo o conforto possível nos momentos mais difíceis da vida. Conheça melhor como trabalhamos!

 

Com informações de BBC.