Muito se comenta sobre os problemas que o uso de celulares, tablets e computadores pode causar em crianças em adolescentes. Um estudo recente mostrou que, atualmente, essas tecnologias estão sendo responsáveis por acabar com a qualidade do sono de diversas crianças.

Pesquisadores do King’s College, de Londres, analisaram o dia a dia de 125.198 crianças e adolescentes entre 6 e 19 anos de idade. Eles constatarem que o uso de celulares e tablets durante a noite traz muitos prejuízos à saúde a médio e longo prazo.

Uso de celulares - Medworld

Imagem: BBC.

Qual o perigo do uso de celulares?

Na verdade, cruzando dados do uso dos dispositivos com o estilo de vida e situação da saúde dos jovens, os pesquisadores verificaram problemas desde falta de sono até obesidade e depressão.

Diversos profissionais já concordam que, a médio e longo prazo, o uso dessas tecnologias prejudica a saúde dos jovens. Inclusive, um estudo da própria Sociedade Real para Saúde Pública (RSPH, na sigla em inglês) alertou que falta de sono é um dos fatores que levam a doenças mais graves.

No caso das crianças, esse problema é ainda mais sério, já que hormônios importantes são produzidos durante o sono e são um componente fisiológico essencial para o crescimento adequado da pessoa. O hormônio GH, conhecido como “hormônio do crescimento”, por exemplo, é liberado enquanto a criança dorme, assim como o cortisol – responsável pela estabilidade emocional.

Como eles atrapalham o sono?

Diversos fatores fazem com que o uso de celulares e tablets atrapalhem o sono, desde a luz até o conteúdo assistido. O atraso da hora de sono (por causa da concentração), a excitação causada pelo que a criança está fazendo e a própria claridade da luz são os responsáveis.

O maior problema é com a chamada “luz azul”, o tipo de luminosidade emitida pela tela de aparelhos eletrônicos, bastante diferente da luz das lâmpadas.

Um estudo feito em Israel pela Universidade de Haifa e a Clínica do Sono Assuta percebeu que a luz azul altera os ciclos do corpo. Quando os olhos a identificam, essa luz altera a produção de melatonina, o hormônio do sono.

É como se o corpo, mesmo antes de dormir, continuasse em “vigília” por causa da luz das telas. Dessa forma, o sono demora mais pra vir.

A partir disso, diversas funções do organismo podem ser prejudicadas, já que não há o descanso necessário. Um dos principais problemas é a dificuldade de assimilação cognitiva, ou seja, aprender novas informações. Sem o descanso necessário, não é possível que o cérebro possa assimilar de forma mais permanente algo novo – o que acontece durante o sono.

Diversas informações nos indicam que, de fato, há problemas no uso de celulares e tablets logo antes do sono, especialmente para crianças. Todo cuidado é pouco na hora de garantir o desenvolvimento correto do organismo.

A Medworld se preocupa com a saúde de todo e qualquer indivíduo em todos os momentos de sua vida. É por isso que, além de disponibilizar informações relevantes como esta que vimos hoje, também oferece móveis hospitalares com toda a qualidade para garantir o conforto que a saúde merece!

Com informações de Terra.