A obesidade é atualmente um dos principais problemas dos países desenvolvidos, enquanto geralmente encontramos os menores níveis apenas nos países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos.

O Japão é o país que foge da regra. Seu altíssimo IDH também está relacionado aos hábitos alimentares de sua população, que são nada menos que saudáveis.

Enquanto em países como Reino Unido, França, Alemanha e Itália a obesidade atinge mais de 20% da população, o Japão mantém um nível surpreendente: apenas 3,7%, em dados recentes.

Hoje, a Medworld te conta como o Japão conseguiu garantir mais saúde para sua população através de atitudes simples e inteligentes. Continue lendo.

Alimentação japonesa e obesidade - Medworld

Ensinar desde cedo

A visão que a população japonesa possui da nutrição é algo muito particular e positivo no país. No entanto, ela foi estimulada principalmente por leis oficiais que transformaram a alimentação em política pública.

A educação entre as crianças nesse sentido é estimulada desde cedo, principalmente por causa da lei Shuku Iku.

Desde 2005 ela existe para informar alunos sobre alimentação saudável, procedência da comida e cadeia alimentar. Ela também encarou a nutrição como programa para disciplinas nas escolas.

A Shuku Iku também fez com que as escolas japonesas passassem a contar com nutricionistas e professores capacitados para ensinar sobre nutrição. Eles ensinam que “comer é um ato social”, como diz Katrin Engelhardt, da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Quiosques e máquinas de lanches industrializados não existem dentro das escolas, o que torna mais fácil uma alimentação saudável.

Trabalhar com saúde

Outra lei é a Metabo, que foca nos adultos. Seu intuito é estimular a população entre 40 e 75 anos a fazer medições anuais da circunferência abdominal.

Há uma cultura principalmente entre as empresas para realizar essas medições e verificar se todos estão dentro de padrões saudáveis. Elas são feitas pela administração pública ou empresas.

A medição da circunferência abdominal serve tanto para indicar a incidência de obesidade quanto para o risco de algumas doenças. Segundo a OMS, uma circunferência de mais de 94 cm para homens e mais de 80 cm para mulheres pode significar complicações futuras com a saúde, como doenças cardiovasculares.

Por causa disso, muitas empresas também oferecem uma cultura de trabalho diferenciada, oferecendo espaços e tempo na rotina para a prática de exercícios.

Questão cultural

As leis são relativamente recentes, mas servem para impulsionar uma cultura que há tempos existe no Japão, especialmente relacionada à alimentação.

Há um forte hábito em consumir a culinária tradicional, preparada com alimentos frescos, naturais e de poucas calorias. Ao mesmo tempo, as porções costumam ser pequenas.

A população valoriza as hortas locais e produtos naturais, não industrializados. Tudo isso obviamente faz com que consigam ter uma alimentação saudável em que o corpo agradece.

A história do Japão nos mostra que ter uma vida saudável é principalmente questão de hábitos. Quando mudamos nossa alimentação e ligeiramente o nosso estilo de vida, a longevidade se torna um objetivo mais possível.

Assim como acontece com os japoneses, a Medworld espera que você consiga manter sua qualidade de vida por muito tempo, evitando todas as complicações de saúde possíveis. Conte conosco para qualquer momento!


Com informações de BBC.